Procedimentos

Cirurgias do aparelho digestivo

» Câncer de cólon e reto

A cirurgia é o principal método de tratamento para casos de câncer no cólon – procedimento chamado de colectomia e no reto, chamado de retossigmoidectomia. O procedimento pode ser realizado por diversas técnicas diferentes, como: polipectomia e excisão local (para retirar tumores superficiais ou pólipos), ressecção transanal, microcirurgia endoscópica e outras. A escolha da melhor opção cabe ao especialista e depende do estágio da doença.

» Enterectomia

Procedimento cirúrgico onde é retirada uma parte do intestino. Geralmente é indicado em casos onde exista obstrução total ou parcial do intestino, como nos pacientes com câncer. A indicação pode ser ainda para casos de abscessos intestinais e trombose intestinal.

» Colectomia

Cirurgia na qual o médico retira parte do intestino grosso (cólon) ou, em casos mais raros, todo o intestino grosso. É uma cirurgia que pode ser necessária em diversas situações como inflamações com perfuração do intestino, como, por exemplo, em diverticulites complicadas; em casos de câncer; em casos de obstrução do intestino; sangramentos que não conseguem ser controlados por medidas clínicas; em lesões traumáticas do intestino grosso.

Existem vários tipos de colectomia e é o médico que define qual o tipo necessário para cada caso. Geralmente é indicado realizar a técnica com a cirurgia minimamente invasiva porque proporciona uma recuperação mais rápida, menos dor no pós-operatório e uma permanência menor no hospital do que a cirurgia por via aberta.

» Tratamento de cisto pilonidal

O cisto pilonidal é um processo crônico inflamatório que acomete a região entre as nádegas sendo mais comum em homens. A causa ainda não é bem definida, mas acredita-se que o problema seja causado pelo crescimento de pelos dentro da pele. O tratamento é cirúrgico. O procedimento é bem simples e costuma ser rápido

» Tratamento da doença diverticular

O problema é caracterizado por uma inflamação e aparecimento de bolsas e quistos pequenos e salientes da parede interna do intestino (divertículos). É mais comum após os 40 anos de idade. A causa exata ainda não é conhecida, mas que seguir uma dieta pobre em fibras é uma das possíveis causas. A doença causa constipação e a presença de fezes duras, que demandam esforço além do normal para passar pelo reto. A diverticulite é causada por pequenos pedaços de fezes que ficam presas nesses quistos, provocando infecção ou inflamação.

O tratamento depende da intensidade e gravidade dos sintomas. Alguns casos mais complicados exigem a realização de um procedimento cirúrgico: a ressecção primária do intestino (quando o cirurgião remove os segmentos doentes do intestino e reconecta com os saudáveis) ou a ressecção intestinal via colostomia (quando o paciente tem muita inflamação e não é possível voltar ao cólon e ao reto é feita uma abertura na parede abdominal para conectá-la à parte saudável do cólon). A escolha do procedimento é definida pelo médico especialista.

» Tratamento cirúrgico endometriose

A endometriose é uma doença comum nas mulheres, caracterizada pela presença de células endometriais (tecido do interior do útero) fora da cavidade uterina. Se não for diagnosticada e tratada precocemente, pode levar  à infertilidade da mulher. A principal técnica utilizada no tratamento cirúrgico da endometriose é a laparoscopia. Nela, o especialista tem como objetivo a retirada de todas as lesões dos órgãos pélvicos. A cirurgia também pode ser realizada pela técnica robótica, onde as incisões são feitas na região abdominal, comandadas por um console dirigido por um especialista. Esse processo permite domínio mais preciso e o alcance em regiões de difícil acesso, onde a mão do médico não é capaz de chegar.